Note por favor que os links das fontes de referência são em Inglês 

Definição

Ambliopia é o termo médico usado quando a visão num dos olhos se encontra reduzida porque o olho e o cérebro não trabalham juntos de forma coordenada. O olho em si parece normal, mas não está sendo usado normalmente porque o cérebro está favorecendo o outro olho. Esta condição é também chamada de “olho preguiçoso”.

Fonte : National Eye Institute

 Ambliopia ou "olho preguiçoso" é uma condição em que o olho e o cérebro não trabalham em conjunto como deveriam.

Desde o nascimento até cerca dos 6 anos de idade, conexões vitais são formadas entre os olhos de uma criança e cérebro. Qualquer coisa que bloqueie ou obscureça a visão num ou em ambos os olhos pode então inibir ou bloquear o desenvolvimento dessas conexões. Isto pode fazer com que o cérebro não reconheça completamente as imagens vistas por um ou ambos os olhos.

Quando isto acontece, o cérebro começa a ignorar ou suprimir as imagens vistas pelo olho, de outra forma saudável, e este fica mais fraco, perdendo a força da visão (acuidade). Este olho é então referido como "amblíope".

Fonte : Kids Health

 

Sintomas

Não é fácil reconhecer a ambliopia (olho preguiçoso) em crianças. Uma criança pode não estar ciente de ter um olho mais forte e um olho mais fraco. A menos que a criança tenha um olho que está desalinhado ou outra condição que possa ser vista, muitas vezes não há maneira para os pais perceberem que algo está errado.

Alguns sintomas de ambliopia (olho preguiçoso) a estar atento em crianças incluem:

• Visão insuficiente num olho ou visão global pobre

• Semicerrando os olhos, inclinando a cabeça ou fechando um olho para ver

• Fraca perceção de profundidade (dificuldade em avaliar distâncias relativas entre objetos)

• Olho que foge para dentro ou para fora

• Dores de cabeça

Fonte : AAO 

 

Frequência

Estima-se que cerca de 2 a 3 por cento da população dos EUA tem algum grau de ambliopia.

Fonte : All About Vision

 

Causas

Os seguintes fatores podem aumentar o risco de uma criança ter ambliopia (olho preguiçoso):

• Ter olhos desalinhados (estrabismo)

• Miopia ou presbiopia severa em ambos os olhos

• Visão desigual em ambos os olhos (um olho com mais miopia ou presbiopia do que o outro)

• Ter uma condição que impeça a luz de entrar no olho corretamente, como catarata ou uma queda de pálpebra

• Antecedentes familiares de ambliopia ou estrabismo

• Nascimento prematuro ou baixo peso ao nascer

Fonte : AAO

Uma das causas mais comuns de ambliopia é o estrabismo, ou trocar um ou ambos os olhos para dentro (chamada esotropia), para fora (chamado exotropia), para cima (hipertropia) ou para baixo (hipotropia).

Quando os olhos estão desalinhados, o olho reto ou mais reto pode tornar-se dominante. A força de visão (acuidade) do olho reto permanece normal porque o olho e sua conexão com o cérebro estão a funcionar normalmente. O olho desalinhado ou mais fraco, no entanto, não foca adequadamente e o cérebro suprime ou ignora o seu sinal, levando assim à ambliopia.

Nem todas as crianças com ambliopia terão olhos trocados ou desalinhados - de fato, muitos têm olhos perfeitamente retos. Nestes casos, a ambliopia é geralmente o resultado de um problema anatómico ou estrutural que interfere ou bloqueia a visão, tal com uma queda de pálpebra ou uma catarata.

Outra causa de ambliopia é a dificuldade em ver ao perto severa (hipermetropia), dificuldade em ver ao longe (miopia) ou astigmatismo (uma forma de visão desfocada). Estes problemas de visão ("erros de refração") fazem com que a visão fique desfocada, e são essas imagens desfocadas que são enviadas para o cérebro. Com o passar do tempo, o cérebro começa a ignorar ou suprimir essas imagens pouco claras, resultando em ambliopia num ou em ambos os olhos.

Outra causa pode ser devida ao facto de ter diferentes forças de visão em cada olho - uma condição conhecida como anisometropia. Quando um olho vê mais claramente do que o outro, o cérebro pode ignorar ou suprimir a visão do olho desfocado.

A genética também desempenha o seu papel. A ambliopia tende a ocorrer dentro da família. É também mais comum em crianças prematuras ou afetadas por atrasos no desenvolvimento.

Fonte : Kids Health

 

Evolução

De uma forma geral, quanto mais cedo a criança for tratada, mais rápida será a melhoria na visão e maior será a hipótese de restaurar completamente a visão. Se o tratamento for iniciado antes dos 6-7 anos de idade, é possível, na maior parte dos casos, restaurar completamente a visão. Se o tratamento for iniciado em crianças mais velhas, poderá ainda assim ocorrer alguma melhoria na visão. No entanto, é pouco provável conseguir corrigir completamente a visão.

Cerca de 1 em cada 4 crianças desenvolve uma recorrência de ambliopia aquando da interrupção do tratamento. Esse risco é maior se o oclusor for removido abruptamente, e é razão para uma monitorização cuidadosa. Se o problema voltar, geralmente é necessário tratamento adicional.

 

É muito importante seguir o conselho dado pelo especialista dos olhos (um optometrista ou oftalmologista) sobre a aplicação de oclusores (ou outros tratamentos para a ambliopia). A razão mais comum para a falência do tratamento deve-se ao facto de oclusor não ter sido usado corretamente por tempo suficiente. À medida que seu filho cresce, as conexões visuais ficam completamente formadas e impossíveis de mudar, pelo que a correção precoce é essencial.

Fonte : Patient

 

Prevenção

Embora os tratamentos recentes para a ambliopia possam melhorar a visão em crianças mais velhas e adultos, a maioria dos especialistas concorda que, a deteção e o tratamento precoces do olho preguiçoso, são recomendados para obter um normal desenvolvimento visual e o melhor resultado do tratamento para a ambliopia.

A Associação Americana de Optometria recomenda que todas as crianças tenham seu primeiro exame ocular aos 6 meses de idade, outro exame aos 3 anos e um terceiro exame antes de entrar na escola para garantir que a visão se esteja a desenvolver normalmente em ambos os olhos e não haja risco de ambliopia.

Fonte : All About Vision 

 

Diagnóstico

A ambliopia pode ser diagnosticada examinando-se os olhos e testando a visão. Diferentes técnicas são usadas para testar a visão, dependendo da idade da criança. As crianças com um desvio conhecido (estrabismo) são monitorizadas cuidadosamente para ver se se desenvolve ambliopia.

Às crianças no Reino Unido é geralmente sugerida uma consulta pré-escolar ou escolar de avaliação à visão. Um dos principais objetivos é detetar a ambliopia enquanto ainda é tratável. No entanto, mesmo que seu filho tenha tido uma verificação ocular no passado, informe o seu médico se suspeitar que a visão num ou ambos os olhos se tornou mais pobre.

Um bebé ou criança com uma suspeita de ambliopia é geralmente referida a um optometrista. Os optometristas são especialmente treinados para avaliar e acompanhar crianças com estrabismo e ambliopia. Se necessário, um optometrista irá encaminhar a criança para um cirurgião dos olhos (oftalmologista) para posterior avaliação e tratamento.

Fonte : Patient

 

Tratamento

O tratamento para a ambliopia envolve forçar o cérebro a prestar atenção às imagens do olho amblíope ou mais fraco para que a visão nesse olho fique mais forte. Isso é feito através de óculos, oclusores oculares, colírios, cirurgia ou uma combinação destes:

Óculos. Os óculos são prescritos quando a ambliopia é causada por erros graves de refração e/ou anisometropia (quando um olho vê mais claramente do que o outro). Os óculos ajudam a enviar imagens claras e focadas para o cérebro, que o irão ensinar a "ligar" o olho mais fraco. Isso permite que o cérebro use os olhos em conjunto e de forma a desenvolver uma visão normal.

Oclusores oculares. Em muitos casos, as crianças com ambliopia devem usar um oclusor ocular opaco sobre o olho mais forte ou não afetado. O oclusor é usado entre 2-6 horas por dia enquanto a criança estiver acordada durante alguns meses ou anos, dependendo da severidade da doença. Existem dois tipos de oclusores oculares: o primeiro tipo funciona como um penso e é colocado diretamente sobre o olho. O segundo tipo, projetado especificamente para crianças que usam óculos, é um oclusor de pano que se encaixa com segurança sobre a lente.

Para os pais, promover o uso de um oclusor de olho pode parecer trabalhoso. Mas as crianças geralmente adaptam-se bem após um período de ajuste inicial, e o oclusor torna-se parte de seu dia. Nesse período, a distração com um brinquedo novo ou emocionante, uma viagem ao parque, ou apenas brincar fora pode ajudar as crianças a esquecem que estão a usar um oclusor ocular.

Gotas de atropina. Por vezes, apesar dos melhores esforços dos pais, algumas crianças simplesmente se recusam a usar o oclusor sobre os olhos. Nestes casos, as gotas de atropina podem ser utilizadas como alternativa aos oclusores. Assim como um remendo bloqueia a visão no olho não afetado ou reto, as gotas de atropina desfocam temporariamente a visão no olho forte, forçando o cérebro a reconhecer as imagens vistas pelo olho mais fraco.

Cirurgia. Se o estrabismo é a causa de ambliopia de uma criança e o tratamento com óculos, oclusores ou gotas não melhora o alinhamento dos olhos, a cirurgia do músculo ocular pode ser uma opção. A cirurgia também pode ser feita se a ambliopia é causada pela queda da pálpebra ou por uma catarata.

A cirurgia envolve soltar ou encurtar os músculos que estão a fazer com que o olho fuja. Embora seja uma medida invasiva, a cirurgia é considerada segura e eficaz e geralmente não requer uma hospitalização de mais de 1 dia.

Fonte : Kids Health

 

Imagens

Uma criança com um oclusor ocular para correção de ambliopia

Child eyepatch

FonteBy National Eye Institute, National Institutes of Health [Public domain], via Wikimedia Commons

 

Procurar Pro Visu