Glaucoma

Note por favor que os links das fontes de referência são em Inglês

Definição

As duas principais categorias de glaucoma são glaucoma de ângulo aberto (GAA) e glaucoma de ângulo fechado. O "ângulo" em ambos os casos refere-se ao ângulo de drenagem dentro do olho que controla a saída de fluído aquoso (humor aquoso) que está continuamente a ser produzido dentro do olho.

Se o humor aquoso consegue aceder o ângulo de drenagem, o glaucoma é denominado como glaucoma de ângulo aberto. Se o ângulo de drenagem é bloqueado e o humor aquoso não consegue alcançá-lo, o glaucoma é denominado como glaucoma de ângulo fechado.

As variações de GAA incluem: glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA), glaucoma de tensão normal (GTN), glaucoma pigmentar, glaucoma pseudo-exfoliativo, glaucoma secundário e glaucoma congênito.

As variações do glaucoma de ângulo fechado incluem glaucoma agudo de ângulo fechado, glaucoma de ângulo fechado crónico e glaucoma neovascular.

 

Glaucoma primário de ângulo aberto. Este tipo de glaucoma comum reduz gradualmente a sua visão periférica sem outros sintomas. Na altura em que se apercebe desta diminuição, danos permanentes já ocorreram.

Se sua pressão intra-ocular (PIO) permanecer elevada, a destruição causada pelo GPAA pode progredir até que a visão em túnel se desenvolva, e poderá apenas ver objetos que estejam mesmo em frente. Em última análise, toda a visão pode ser perdida, provocando cegueira.

Glaucoma agudo de ângulo fechado. Também chamado de glaucoma de ângulo estreito, o glaucoma agudo de ângulo fechado produz sintomas repentinos como dor ocular, dores de cabeça, halos em torno de luzes, pupilas dilatadas, perda de visão, olhos vermelhos, náuseas e vômitos.

Estes sinais constituem uma emergência médica. Os sintomas podem durar algumas horas, aliviar, e em seguida voltarem novamente, ou podem ser contínuos sem alívio. Cada ataque pode causar progressivamente maior perda de visão.

Glaucoma de tensão normal. Como o GPAA, o glaucoma de tensão normal (também chamado de glaucoma de pressão normal, glaucoma de baixa tensão ou glaucoma de baixa pressão) é um tipo de glaucoma de ângulo aberto que pode causar perda do campo visual devido a dano do nervo ótico. No entanto, no glaucoma de tensão normal, a PIO permanece no intervalo normal.

Adicionalmente, a dor é pouco frequente, pelo que danos permanentes ao nervo ótico podem não ser notados até os sintomas, tais como a visão em túnel, ocorrem.

A causa do glaucoma de tensão normal não é conhecida. Muitos médicos acreditam que está relacionada com um pobre fluxo sanguíneo para o nervo ótico. O glaucoma de tensão normal é mais comum em indivíduos Japoneses, em mulheres e/ou naqueles com história de doença vascular.

Glaucoma pigmentar. Esta forma rara de glaucoma é causada pela oclusão do ângulo de drenagem do olho por pigmento que se soltou da íris, reduzindo a taxa de saída do humor aquoso do olho. Ao longo do tempo, uma resposta inflamatória ao ângulo bloqueado danifica o sistema de drenagem.

É improvável que você note quaisquer sintomas decorrentes do glaucoma pigmentar, embora alguma dor e visão desfocada possam ocorrer após o exercício. O glaucoma pigmentar afeta mais frequentemente os caucasianos entre os 30’s e até meados dos 40’s.

Glaucoma secundário. Os sintomas de glaucoma crónico após uma lesão ocular podem indicar glaucoma secundário, que também pode desenvolver-se com a presença de infeção ocular, inflamação, um tumor ou aumento global da lente devido a catarata.

Glaucoma congénito. Esta forma hereditária de glaucoma está presente ao nascimento, sendo 80 por cento dos casos diagnosticados durante o primeiro ano de vida. Estas crianças nascem com ângulos estreitos ou algum outro defeito no sistema de drenagem do olho.

 

Fonte : All About Vision

 

Órgão

O glaucoma é uma doença do nervo ótico, cuja função é transmitir as imagens recolhidas pelo olho para o cérebro.

 

Sintomas

No início, o glaucoma de ângulo aberto não apresenta sintomas. Não causa dor. A visão permanece normal. O glaucoma pode desenvolver-se num ou em ambos os olhos.

Sem tratamento, as pessoas com glaucoma vão perdendo lentamente a sua visão periférica (lateral). Se o glaucoma não for tratado, as pessoas podem perder a visão de objetos laterais e do canto do olho. Elas parecem estar a olhar através de um túnel. Com o passar do tempo, a visão direta (central) pode diminuir até que não haja visão.

Fonte : NEI 

 

Frequência

Estima-se que três milhões de americanos têm glaucoma, mas apenas cerca de metade deles sabem que têm glaucoma. O glaucoma é uma das principais causas de cegueira em pessoas com mais de 60 anos.

Fonte : AAO

 

Causas

O glaucoma geralmente ocorre quando a pressão nos seus olhos aumenta. Isso pode acontecer quando o fluido ocular não circula normalmente na parte frontal do olho.

Normalmente, este fluido, chamado humor aquoso, flui para fora do olho através de um canal em forma de malha. Se este canal ficar bloqueado, o fluído acumula-se, causando o glaucoma. A causa deste bloqueio é desconhecida, mas os médicos sabem que ela pode ser herdada, ou seja, transmitida de pais para filhos.

Causas menos comuns de glaucoma incluem uma lesão física ou química do olho, infeção ocular grave, bloqueio dos vasos sanguíneos do olho, condições inflamatórias do olho e, ocasionalmente, cirurgia ocular para corrigir uma outra condição. O glaucoma geralmente ocorre em ambos os olhos, mas pode acometer cada um dos olhos numa extensão diferente.

Fonte : WebMD

 

Evolução

A pressão aumentada, chamada pressão intraocular, pode danificar o nervo ótico, que transmite imagens ao cérebro. Se os danos no nervo ótico provocados por pressão ocular elevada continuar, o glaucoma causará a perda permanente da visão. Sem tratamento, o glaucoma pode causar cegueira total permanente no decurso de poucos anos.

Fonte : WebMD

 

Prevenção

Uma vez que os sintomas do glaucoma só são notados quando já existe uma certa deterioração do nervo ótico, o rastreio é essencial.

O rastreio é recomendado:

• A cada três anos a partir dos 40 anos

• a cada dois anos a partir dos 50 anos

• anualmente a partir dos 60 anos

Este rastreio pode diagnosticar o glaucoma numa fase precoce. Com tratamento regular, o campo visual é muitas vezes preservado. Na maioria dos doentes assim tratados a cegueira é prevenida.

Traduzido de : HUG

 

Diagnóstico

O glaucoma é detetado através de um exame oftalmológico completo que inclui o seguinte:

Teste de acuidade visual. Este teste visual gráfico mede o quão bem vê a várias distâncias.

Teste de campo visual. Este teste mede a sua visão periférica (visão lateral). Ajuda o seu oftalmologista a perceber se perdeu a visão periférica, um sinal de glaucoma.

Exame de olho dilatado. Neste exame, gotas são colocadas nos seus olhos para alargar, ou dilatar, as pupilas. O seu oftalmologista usa uma lente de aumento especial para examinar a sua retina e nervo ótico para sinais de danos e outros problemas oculares. Após o exame, a sua visão ao perto pode permanecer desfocada por várias horas.

A tonometria é a medida da pressão dentro do olho usando um instrumento chamado tonómetro. Gotas anestésicas podem ser aplicadas no seu olho para este teste. Um tonómetro mede a pressão dentro do olho para detetar o glaucoma.

A paquimetria é a medida da espessura da córnea. O seu profissional de cuidados oculares aplica uma gota anestésica no seu olho e usa um instrumento de ondas ultrasónicas para medir a espessura da córnea.

Source : NEI 

 

Tratamento

O tratamento imediato para o glaucoma de ângulo aberto num estágio inicial pode atrasar a progressão da doença. É por isso que o diagnóstico precoce é muito importante.

Os tratamentos do glaucoma incluem medicamentos, trabeculoplastia a laser, cirurgia convencional ou uma combinação destes. Embora estes tratamentos possam salvar a visão remanescente, eles não melhoram visão já perdida pelo glaucoma.

Medicamentos. Medicamentos sob a forma de colírios ou comprimidos são o tratamento precoce mais comum para o glaucoma. Tomados regularmente, estes colírios diminuem a pressão ocular. Alguns medicamentos fazem com que o olho produza menos fluido. Outros reduzem a pressão ao ajudar a drenagem do fluido do olho.

Antes de iniciar o tratamento do glaucoma, informe o seu oftalmologista sobre outros medicamentos e suplementos que está a tomar. Às vezes, as gotas podem interferir com a forma como outros medicamentos funcionam.

Os medicamentos para o glaucoma precisam ser tomados regularmente como indicado pelo seu oftalmologista. A maioria das pessoas não tem problemas. No entanto, alguns medicamentos podem causar dores de cabeça ou outros efeitos secundários. Por exemplo, as gotas podem causar ardor, sensação de queimadura e vermelhidão nos olhos.

Muitos medicamentos estão disponíveis para tratar o glaucoma. Se tiver problemas com um medicamento, informe o seu oftalmologista. O tratamento com uma dose diferente ou um medicamento diferente pode ser possível.

Como o glaucoma geralmente não apresenta sintomas, as pessoas podem sentir-se tentadas a parar de tomar, ou esquecer de tomar os seus medicamentos. Precisa usar as gotas ou os comprimidos desde que estes ajudem a controlar a pressão ocular. O uso regular é muito importante.

Tonómetro que mede a pressão.

Um tonómetro mede a pressão dentro do olho para detetar glaucoma.

Certifique-se que o seu profissional de cuidados oculares lhe mostra como colocar as gotas no seu olho. Para obter dicas sobre como usar seus colírios para o glaucoma, consulte a contracapa interna deste folheto. 

Trabeculoplastia a laser. A trabeculoplastia a laser ajuda a drenagem do fluido para fora do olho. O seu médico pode sugerir esta opção em qualquer altura. Em muitos casos, você precisará continuar a tomar medicamentos contra o glaucoma após este procedimento.

A trabeculoplastia a laser é realizada no consultório do seu médico ou numa clínica oftalmológica. Antes da cirurgia, gotas anestésicas são aplicadas no seu olho. Enquanto se senta de frente para a máquina de laser, o seu médico aplica uma lente especial junto ao seu olho. Um feixe de luz de alta intensidade é direcionado através da lente e refletido na malha dentro do seu olho. Você pode ver flashes de luz verde ou vermelho brilhante. O laser faz várias queimaduras uniformemente espaçados que alargam os poros de drenagem na malha ocular. Isso permite que o fluido drene melhor.

Como qualquer cirurgia, a cirurgia a laser pode causar efeitos secundários, tal como inflamação. O seu médico pode dar-lhe algumas gotas para levar para casa para qualquer dor ou inflamação que possa sentir dentro do olho. Irá ser necessário fazer várias visitas de acompanhamento para ter a sua pressão ocular e olho monitorizados.

Se tiver glaucoma em ambos os olhos, normalmente apenas será tratado um olho de cada vez. Tratamentos a laser para cada um dos olhos serão agendados com vários dias a várias semanas de intervalo.

Estudos mostram que a cirurgia a laser pode ser muito boa para reduzir a pressão em alguns pacientes. No entanto, os seus efeitos podem desaparecer ao longo do tempo. O seu médico pode sugerir tratamento adicional.

 

Cirurgia convencional. A cirurgia convencional faz uma nova abertura para que o fluido possa sair do olho. O seu médico pode sugerir este tratamento em qualquer altura. A cirurgia convencional é muitas vezes feita após os medicamentos e cirurgia a laser não conseguirem controlar a pressão.

Cirurgia convencional, chamada trabeculectomia, é realizada numa sala cirúrgica. Antes da cirurgia, são administrados medicamentos para ajudá-lo a relaxar. O seu médico faz pequenas injeções ao redor do olho para o anestesiar. Uma pequena porção de tecido é removido para criar um novo canal para que o fluido possa drenar do olho. Este fluido drenará entre as camadas de tecido ocular e criará uma espécie de bolha, "bolha de filtração".

Durante várias semanas após a cirurgia, deverá colocar gotas no olho para combater infeções e a inflamação. Estas gotas serão diferentes das que possa ter usado antes da cirurgia.

A cirurgia convencional é realizada num olho de cada vez. Normalmente, as operações são feitas com um intervalo de quatro a seis semanas.

A cirurgia convencional é cerca de 60 a 80 por cento eficaz na redução da pressão ocular. Se a nova abertura de drenagem se estreitar, pode ser necessária uma segunda intervenção. A cirurgia convencional funciona melhor se não tiver sido feita cirurgia ocular anterior, tal como uma cirurgia de catarata.

Por vezes, após a cirurgia convencional, a sua visão pode não ficar tão boa quanto antes da cirurgia convencional. A cirurgia convencional pode causar efeitos secundários, incluindo catarata, problemas com a córnea, inflamação, infeção dentro do olho, ou problemas de pressão ocular baixa. Se tiver algum destes problemas, informe o seu médico para que um plano terapêutico possa ser desenvolvido.

Fonte : NEI

 

Imagens

  Visão normal

Eye disease simulation, normal vision

Fonte : By National Eye Institute, National Institutes of Health [Public domain], via Wikimedia Commons

A mesma imagem com perda avançada de visão por glaucoma

Eye disease simulation, glaucoma

FonteBy National Eye Institute, National Institutes of Health [Public domain], via Wikimedia Commons

 

Procurar Pro Visu